Love Me

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

MEDITANDO!



 Meditando sobre o amor e a amizade, entro numa espiral do tempo e  numa viagem que me permite visitar o tempo e o espaço, desses momentos gerados pelo milagre chamado "humanidade".
Escuto pessoas ou seres falando de "amizade" e de "amor", utilizando uma linguagem e palavras elevadas para revelarem um brio que a energia das suas essências logo desmascaram.
Não o digo pela critica ou julgamento, mas pela consciência de que o é necessário trabalhar de facto, se se quer atingir aquilo que pretende aparentar.
Mas; o verdadeiro objectivo desta viagem, reside na lembrança de recordar a essência da "amizade", do "amor", catapultar-me para esses momentos de pura inocência da criança, da entrega do universo dessas revelações humanas.

Lembro então, de momentos muito especiais em que a amizade foi servida à mesa, por um gesto desinteressado e verdadeiramente importado com o bem estar de quem se deseja ser amigo.
Em que a pessoa; rápidamente se esquecia de si, e tão efusivamente tomava assim as dores do amigo, só querendo desejar-lhe o bem maior, como se fosse a si .


Lembro-me de momentos de amor puro, de toques  e 
renascimentos na almas perfeitos e verdadeiros, de uma unidade singular e feliz..
E esses momentos, estendiam-se assim a todos os que amava e que eu não contava que me amassem de verdade.
E esses me amaram sim, lembrando-me da capacidade humana, da alma em dificuldade ainda conseguir doar um gesto de amor, de transformar um inimigo com um acto amigo .
E esses foram amor puro, no meio da escuridão que os cercava, esses iluminaram o planeta, quando na hora de defender essa essência que se chama "humanidade", que se chama "Cristo", foram esses que me lembraram do que era a transcendência nos planos mais densos.
Do seu real significado em cada criação de Deus e ele  assim se fez sempre presente, fazendo os milagres acontecerem.
Depois recordo dos grupos espirituais, dos ditos seres tão elevados e possíveis "ascensos",  lembro-me  ainda de com eles ter aprendido que lhes faltava " humanidade", que nem sabem o que isso significa para além de meras palavras tão eruditas, a maior parte da vezes plásticas e artificiais.
Desconhecem o que é a "amizade", não percebem que quando alguém lhes abre a porta da sua casa, lhes foi doado uma porta para o Divino, que essa porta foi-lhe aberta  numa oportunidade única pelo pai..
Parecem  então políticos e não irmãos,  tal é a competição e o desejo de ver quem ganha mais que quem, de quem é o mais importante e famoso  do que quem( tema a desenvolver mais tarde),afastando-se do divino e da oportunidade doada, etc, etc, etc.

Observo o que vejo, questiono-me por vezes se devo ir contra o meu Pai e a verdade que sou, para lhes agradar, violando assim também um pouco mais da própria humanidade, que teima em não querer se anunciar de vez.
Mas lembro-me de tantos seres que falam palavras  com; "foi divino", "é divino", e tantas outras, e o meu ser suspira de tristeza e desejava dizer-lhe que; o divino é algo, tão limpo, tão puro, que palavra alguma desprovida dessa essência sobrevive a essa vibração se não estiver nela.
E não está, pois para se aceitar o divino, primeiramente tem de se ser humano, alguém que não reconhece o amor e a amizade de quem ama com pureza e divinamente, saberá o significado da palavra "divino".
Então eu desejo dizer-lhes apenas que para os seres divinos, humanidade significa Crísto, e Cristo significa divino.
Então significa que; quanto mais humanidade em ti despertares mais divino te tornarás e isso não são seitas que te dão, mas  também não é um curso que compres ou tires.
"Humanidade", foi a essência que fez com que Buda esperasse por cada um, que Cristo Jesus, e também Maitreya por ela viessem, por essa essência cheia de amor puro,  por amizade de  simplesmente querer o melhor de tudo ao seu semelhante, foi por essa "Fonte" dentro de cada um à espera de poder se descobrir e se doar ao Universo que viemos.
É por essa razão que, não encontrei em nenhum grupo espiritual e pior ainda em nenhum líder, alguém capaz de ser amigo de verdade, que quando alguém lhe pede ajuda, de o saber auxiliar sem qualquer interesse, sem o egoísmo de estar em primeiro lugar ou de estar humanizado (divino), para o fazer acontecer e renascer assim nesse mesmo momento.

Assim observo a razão de todos terem abandonado e renunciado ao Cristo, de em todas as salas que o medo, a inveja, o ciúme, a dúvida foi maior do que o amor por ele, que a amizade por ele.
 Do que o amor que ele doa a toda a humanidade essa sua essência, em que se saciam como tóxico-dependentes, de uma energia que deveriam trabalhar para assim  por amor a ele e a si mesmo se unificar. Enquanto isso não acontece desculpam-se com uma ascensão, acreditando e ignorando mais uma vez o que aconteceu para que isso acontecesse. Esperam  assim que a ajuda venha de fora, nada mudam e na ignorância usam a espiritualidade, a luz, o Cristo e o divino para serem desumanos e sacrificarem-no em cada um dos seus semelhantes.


"Não faças o que eu faço, mas sim o que eu digo".
"Quando estiveres a fazer ao teu semelhante, estarás a fazer a mim mesmo".
"Amai-vos uns aos outros como eu vos amo e quero".

Por essa razão eu gosto do silêncio, para que os ditos "egos" excessivamente negativados ou positivados, não façam ainda sofrer mais o ser.
O sentido da vida é humanidade, a humanidade é já a espiritualidade divina em acção e essa não se aproveita nem abandona ninguém, essa, o único interesse que tem é ser divino...
E o caminho do divino não são palavras, mas o amor que leva a brotar essa palavra, dita pelo silêncio da divindade de cada ser. 

Amo-te humanidade, porque nasceste dentro de mim e não fora, como tudo o que é divino em si!

Eugénia De Almeida



Sem comentários: