Love Me

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

FRAGILIDADE!



Um toque, uma palavra, um gesto, um abraço, um olhar impulsivo, torna os mais poderosos dos pilares abalados, dentro de nós.
Toda a fúria, toda a raiva, ódio, revolta, injustiça, agressividade, toda a rejeição mostra a tua fragilidade.
E fragilidade é o que te faz permanecer no jogo do elástico, tu esticas porque pensas que és mais forte assim, e ele laça para que percebas, que na vulnerabilidade não podes exercer a força sobre aquilo que é frágil em ti.
É preciso amor, coragem, vontade, sabedoria, mas é preciso entenderes o quanto és frágil ainda, tão frágil quanto o teu semelhante.
Ser forte é ser capaz de se ver ao espelho e ficar feliz porque se permitiu naquele dia a uma" fragilidade" que fez vibrar todas as cordas do seu ser, que não renovou uma musica só, muitas vezes inventa, cria uma nova melodia.

Ser frágil sim é o que eu sou, portanto sei o que é respeitar todo e qualquer ser a começar por mim, mas a acabar em ti.
Quem a sente, quem a toca, quem se imbuí sabe onde e como alcançar o cálice sagrado.

Afinal os fortes, não são fortes, não são frágeis, são apenas competidores amedrontados, porque com o vibrar de uma só corda não sabem onde vão cair.

Se caíres, que caias sempre numas mãos frágeis para aprenderes, o que é o amor, o que é a delicadeza, o que é a gentileza, o que é suportar o outro quando se pensa frágil, e descobre uma força que transforma aquele que toca, essa força chama-se LUZ.
E habita em todos os que a desejem despertar, sendo como um pássaro, uma flor, uma semente que pousa e nasce uma arvore frondosa.

Eugénia De Almeida

terça-feira, 21 de agosto de 2012

MISTÉRIOS E ALMAS!






É no silêncio guardado no nosso coração que se inicia a iluminação, a luz tudo dissolve, ela actua em silêncio, suave, gentil, oculta, misteriosa e amorosa, e quando a alma desperta, muitas almas se unem, umas sorriem outras deitam lágrimas, mas tudo se dá pleno de amor.

Abre-se para a luz do coração, essa que deseja que a alma em si se encontre com o puro amor.


Eugénia De Almeida

domingo, 1 de julho de 2012

CRIANÇA!


A gentileza da inocência em ti, pronuncia-se através do silêncio que emanas como cardíaco desperto.

É lá nesse cardíaco, pleno de amor, pleno de luz que gentilmente reside inocente a tua criança interna, pequena grande luz que gentilmente se doou á vida e puro êxtase no sagrado do teu ser.

Lá na profundidade do ser, onde com amor gentilmente abraça as sombras e eleva brincando para a luz a oportunidade de te escutares como ser divino através do silêncio repleto de amor, pleno de ti como divindade suprema.

Eugénia De Almeida

COISAS??


É o sentido das coisas que as torna nas coisas que são, é o sentido das palavras que lhes enche a alma.

Mas quando a alma está vazia de sentido, está vazia de alma, chamar-se-ia apenas " coisas".

E que coisas???

Tarumani Baruch

LIBERDADE!





Até ao ultimo sopro é tempo de te libertares, até ao ultimo sopro em mim, a palavra é minha, a pedra é tua.

Tarumani Baruch

terça-feira, 19 de junho de 2012

O DOCE SABOR DO DIVINO!



Serei sempre a amante que faz das estrelas a doce cama para o deleite dos meus olhos, para o recolhimento da minha alma, para o pernoitar do meu espirito.

Serei sempre a amante que nas candeias virginais deste santuário divino se veste com a túnica do amor puro e descansa no Crísto logóico do meu ser.

Serei sempre a amante que se deita e acorda nesse logos solar, que não se esquece jamais desse doce sabor do divino despertar da luz do Cristo em mim.

Eugénia De Almeida

quarta-feira, 13 de junho de 2012

A TUA COR, O TEU LUME!



A incapacidade de gerar uma força impulsionadora que te retira do ponto onde te encontras, é superada se com vontade e persistência te debruçares nas tuas fragilidades, essas são por conseguinte fortes vontades que deixaste que te possuíssem.

Se sem medo abraçares as tuas fraquezas, muitas das tuas dores virão à superfície, muitas dessas dores afastaram-te de alguém que amaste, que na incapacidade de lidares com essa separação mataste o que dela havia dentro de ti, matando um pouco de ti também, repousando no teu coração e na tua alma jaz então uma fogueira apagada.

Essa fogueira, espera pela oportunidade de um fogo a dois para fazer as pazes no interno do teu ser, é aí que te deves a esse encontro contigo mesmo e com aquele que dividiste essa mesma chama outrora, agora lume sem vida, fogueira sem fogo, morte com vida.

Se na incapacidade de mover uma força impulsionadora, de acenderes uma pequena chama, te renderes  e amares as tuas imperfeições, as tuas fraquezas, brotará uma força que te desconheces, renascerá uma fragrância que te tornará diferente dos demais, muitos silenciarão as suas incapacidades quando te tocarem, quando sentirem essa fragrância da lapidação do sagrado em ti.

Há uma força dentro de ti que te desconheces, essa força nada tem de humano, pode até te assustar, mas essa força é maravilhosa, ela opera verdadeiros milagres em ti e à tua volta, é um perfume em que a única essência que persiste é a tua, quando a sentires, saberás reconhecer-te capaz, amado, compreendido, apoiado, lúcido, de uma forma que está para além da fé do que quer que acredites.

Essa força, tem vida própria, tem chama própria e é aquela que no silêncio e no desconhecido em ti, te guia desde as pequenas coisas à grande obra que te tornarás aqui.

Todos têm direito a verem pintados na tela da vida, as suas obras, a arte com que o fazem, provem dessa força que te impulsiona a desejares sair do ponto em que te encontras, em desejares o bem maior ao teu semelhante e ao mundo que te rodeia, esse ser já és tu, mas a maior parte das vezes não te reconheces nele, pensas que ainda é pouco o que fazes, e anulas-te sem saberes.

Todos têm o direito a serem especiais, em si e no coração de alguém, na vida de alguém, mas todos temos o direito a aceitar que as nossa vidas são especiais e que nada  e ninguém as pode profanar.

Para saíres do ponto em que te encontras e que em ti desejas mudar, tens de sentir e saber que és capaz, que é verdade o que te digo, que é sentido e vivido pela tua alma, então saberás como fazer essa mudança, com pequenos passos, com pequenos gestos, com pequenos encontros contigo e com o mundo, e em breve estarás a caminhar sem nenhum problema.

És especial, és único e vieste acrescentar um pouco mais a este mundo, a colocar a tua peça numa ausência na vida de muitos alguéns, vieste juntar a tua chama à dos demais, a tua cor ao mundo, e nada te pode impedir de o fazer, ninguém te pode apartar do que és na verdade.

És um diamante em bruto que as mãos de Deus lapida a toda a hora, com amor, com a força de uma essência que não pede licença pela gentileza que é, essa força, esse amor, essa luz, essa cor que  és tu!

Eugénia De Almeida

terça-feira, 12 de junho de 2012

O UNIVERSO EM TI!




Porque apenas no meio da escuridão, se consegue distinguir a verdadeira luz de uma  estrela,  da luz de uma constelação, de um sol, apenas quando rompe do teu interno o verdadeiro despertar da luz do teu ser, e  quando se dá esse reconhecimento dentro do teu ser, o interno indo ao encontro do que está externo, o que está em baixo indo ao encontro do que está em cima.

Quando o toque celeste em ti acontece, vem do sagrado fogo interior, da chama que crepita dentro do teu ser, é nessa chama onde morre o humano para que o divino, para que o sagrado possa então despertar e permanecer.

É lá no centro do universo, que no encontro com outros que fazem parte nós, é lá que  o nosso brilho se torna único, o nosso pulsar se torna sagrado, é lá, olhando para cima que esse encontro interno se dá , que nas revelações sucedidas na quietude do universo em nós, que deixamos de estar separados, que deixamos de nos sentir sós, que deixamos nos ouvir o espirito com a claridade da luz das verdadeiras estrelas dos verdadeiros Sóis.

Lá é onde nos encontramos nas nossas origens, e quando isso se dá todo o universo é nosso lar, aqui e lá, lá ou aqui pouco importa quando olhamos as estrelas, quando contemplamos o universo dentro e fora de nós, porque é lá que nos faz viver o aqui, é aqui que podemos adorar a luz das nossas origens "tão lá".
Essa origens que acordam dentro de nós, onde tudo começa, o principio e o fim, o Alfa e Ómega.
Essa unidade perfeita, que se renova dentro do ser como uma canção, como água e fonte de uma só criação.

Assim como uma estrela brilhas do centro da tua origem, pulsas amor por todo o universo em ti.

Eugénia De Almeida

segunda-feira, 11 de junho de 2012

O DOM DE AMAR!




Pergunto-te, se terá o ser humano de cair no pior de si para nos lembrar do quanto somos amados pelo meu Pai.

Pergunto-me, se te questionas se serias capaz de dar a tua vida para salvar a tua própria humanidade como Jesus assim o fez .


Pergunto-te, se alguma vez saberás o quanto és amado, o quanto eu doei por te amar, Jesus o Crísto e tantos outros que dele são parte, e assim mesmo vendo diariamente a tua imperfeição, vendo diariamente desperdiçares o maior bem que Deus te deu, o maior dom que existe em ti...

O dom de amar.

Sem ele na verdade não és ninguém, sem esse amor por ti e pelo teu semelhante, és apenas alguém incapaz de te amar.

Assim pergunto, se desejará alguém permanecer ao lado de quem é incapaz de amar?


Todos desejam ser amados, mesmo o mais negro dos seres, precisa ainda mais do que tudo dos outros para ter porque se mover.


Assim sendo escolhe amar, porque só quem é capaz de amar poderá ser amado em verdade, em pureza, na maior joia do teu ser, essas virtudes eternas da luz.


Eugénia De Almeida

ALGURES A TUA ALMA É FELIZ!


Quando o silêncio, se torna a mais forte das vozes audível à quietude do ser, há um desnudar do coração e a alma não pode ficar.

Mas ainda que longe, a distancia permanece apenas no físico, o espirito esse tornou-se um só, seja com os que amamos, seja com os que ainda são incapazes de conseguir amar.

Mas a distancia ficou para trás, as escolhas feitas, obrigaram-me a libertar-te em cada partícula do meu ser, até que nunca mais senti a distancia, até que apenas fizesses parte do amor que à luz decidi me entregar.

Assim, sei que algures a tua alma é feliz quando houve alguém que por amor te soube dar a mesma liberdade que em mim fora conquistada.
Assim, sei ainda que nos momentos que sentiste que eu não devia partir, algo meu ficou, aceita que foi unicamente a liberdade em mim de saber amar, amar sem nada possuir, amar sem nada impedir de a luz poder a ti também chegar.

Esse amor que és em mim, esse amor que me fez partir, sempre que a tua mão fechava para me agarrar.

Ainda que não saibas porquê, perdoa aquilo que ainda não consegues alcançar, para além das palavras, foi o silêncio que gritou de um coração que já sabia como amar.

Um coração que chegada a hora para continuar a amar, teria que partir.
Um coração que sabe amar, essa nascente da água da vida que saciada em si, eternamente o seu amor por ti e em ti, ama e cuida, e ir-te-à em verdade libertar.
Por amor...
Pois somente o amor tem a capacidade de libertar, e somente na liberdade se pode amar de verdade.


Eugénia De Almeida

DEIXA QUE SE ACENDA A HUMANIDADE!


Quanto te lavo os pés humanidade, procuro-te pela alma, encontro-me com a tua centelha nesse fogo sagrado que arde lentamente na eternidade do senhor supremo, para que já na unidade o encontro dos reis que se consagraram ao divino na forma, possa te levar ao mais alto da tua chama sagrada.

Ao mais pleno estado de ser aqui e agora, onde as almas puras desnudam o espírito dos descalços mais felizes Sóis que iluminam a humanidade.

Esses que acendem os corações negros e cristalizados, onde o óleo sagrado outrora foi derramado em cada lamparina que foi cuidado até nada mais nela permanecer.

Deixa que o fogo Crístico se acenda em ti, deixa que a morada do senhor te seja lembrada pelo cardíaco, onde muitas são almas que nele se teceram de amor e luz, que nele pernoitaram na escuridão por acreditarem que depois dela o dia brilharia, o sol romperia, e a luz se mostraria para os olhos que dela duvidaram

Eugénia De Almeida

domingo, 10 de junho de 2012

O SOM DO AMOR!




Quando o meu coração se une ao som da melodia do teu, universos renascem em canções e poemas que tocam para as almas de criança deste templo que deu lugar a morada da luz do teu ser.

Os cânticos elevam-se pelo espirito  daqueles que desejam o encontro com o amor puro, com os puros corações da divindade do ser.

O som do teu ser veio para amar, nasceu do amor puro, à fonte deseja retornar para que então, se possa doar como unidade ao mundo novo que está para nascer.

Deixa que a tua alma se eleve, deixa que a dança do espirito santo desça como água da fonte sobre coroas para além do ouro, tão perto do sagrado de ti, tão perto da divindade em ti.


Deixa acontecer, unicamente por ti, por mim, pelo universo que te ama, pela luz que em ti habita...
Essa luz, que  por amor  em ti te fez mais um dia em si, renascer.
Deixa que é só por amor,
e por amor tudo é possível acontecer.

Eugénia De Almeida 

quarta-feira, 6 de junho de 2012

AS PALAVRAS DOS DEUSES!


No meu percurso descobri a humildade do ser oculta sobre tantas faces, umas faces que protegem, outras ainda que denunciam.

Assim, verifiquei no meu percurso, em milhares de seres a necessidade de serem Deus/ Deusas, o desejo de serem Reis e Rainhas de histórias espirituais que mais parecem novelas, que desviam o ser da realidade da sua missão, permanecendo nas energias traumáticas e belicosas de entidades que se alimentam destes mesmos desejos, quando eles renunciam à humildade e honestidade do seu próprio ser.

Assim,  se evidenciam seres que adoram muitos Deuses em cultos de todo o tipo, que se fragmentam em unidades particulares pela falta de ligação à sua essência divina.

Seres, que acompanham quase sempre os mesmos slogans, “DEUS/DEUSA” ou outros, com todas a palavras e cenários adoptados para a sustentação destes estados de consciência que manipulam e desviam as massas, para o propósito de uma entidade que como é lógico, não é física sequer.

Seres que desejam tanto ser Deuses que se esquecem de ser pai/ mãe, irmãos, amigos, companheiros, que se esquecem de ser vizinhos, amantes, esposos, filhos, que recusam em mergulhar no aprendizado destas essências e serem Deuses por um dia nestes reinos seus humanos também.


Neste planeta, seres negros do outro lado continuam a usar a luz, o Cristo, a religião e tudo o que podem mais, aproveitando-se de seres puros, para fazerem as pessoas enveredarem pelo caminho que não o leva senão à adoração demais um Deus, mas seguramente que não é o deles.

Em todo o planeta, se juntam seitas religiosas, usando palavras, frases, textos, mensagens de mestres, de Jesus e de Deuses, manipulando o sentido, onde na realidade são incapazes de saberem ainda reconhecer o cristo no outro, o Deus no outro, em si mesmos, ou num filho, nos seus pais, a verdade quando  um crísto (pela essência) se lhes aparece na frente, devido ao mental tão condicionado e manipulado para verem uma fantasia, já não conseguem assim ver o revelar de uma verdade de Deus agora na forma.

Assim sendo, talvez seja por isso que eu aprecie aqueles que até na sua rudeza, dizem o que pensam, que revelam a sua indignação, a sua incapacidade de compreenderem estas estranhas formas de viver e ser.

Talvez seja por isso que eu aprecie aquele ser que se mostra roto, desnudado, despido até, da pobreza ou da miséria, e da ignorância de todas as formas ainda sendo parte da condição humana do homem encarnado em transição.

Vejo-lhe os rostos distantes dos demais, percebo que há muito que são observadores das sociedades humanas, rejeitados por aqueles que se acham Deuses, seres superiores, que se esquecem que para serem seres superiores ou Deuses, teriam de ter trabalhado em si todas essas virtudes inerentes a uma condição de divindade suprema, como a compaixão, o amor, o respeito pela condição de cada um, a generosidade, enfim um estado de pureza e elevação consciencial a demarcar-se pela diferença e mudança como exemplo em si. 

Então neste estado ilusório de uma consciência que se encontra em ascensão onde é necessário compreender que desde a linguagem do passado, aos mitos, as escrituras sendo elas quais forem, foram transmitidas para que pudesse chegar a estes estados de consciência mais condicionados, para que acedessem a algo supremo da divindade real de Deus em cada um.

Mas a verdade é que nesta época é necessário entender que se o ser não elevar a sua consciência para Deus, essa suprema divindade de si, está a impossibilitar a ascensão do seu ser, quer isto dizer que, é o ser que tem de deixar de transformar Deus em condições humanas, condições essas como por exemplo DEUS/DEUSA, porque no plano em que se encontra já “Deus/Deusa” (palavra condicionada pela mente humana), não existe nada humano mas sim cósmico, com outra linguagem com outra simbologia, com outra forma de encontro e com outra revelar dentro do ser da nova era, numa unidade da qual ele faz parte nos seus universos micro e macro.

Isto para explicar que Deusa Vénus , ou outros Deuses eram mitos para as mentes de há milhares de anos, obviamente também elas a despertarem nos seus estados.

Deus o verdadeiro criador, nada tem em si no conceito de palavra humana, uma vez que é Deus de todos os universos e muitas outras formas de vida ou existência pura nem conhecem essa palavra.

Então significa que para se ascender para “DEUS”, uma palavra vinda da fonte mas transformada para a condição à mente humana, o ser necessita esquecer ou compreender dentro de si todos esses significados e isso nunca poderá acontecer por aquilo que nunca experienciou em si, como pode então o ser saber o que é Deus, uma divindade suprema, um Deus mitológico se nunca o tiver vivido em consciência?


Como exemplo Jesus Cristo quando veio, não adoptou uma linguagem que não conhecesse em si, ele falou do pai, dos reinos, de Deuses, para isso adoptou uma linguagem humana, um comportamento tão humano para que o ser pudesse elevar-se a esses mesmos estados em consciência e não em intelecto, ele sabia transformar ou substituir na mente humana a fantasia pelo real, e sabendo ainda assim que era julgado e posto à prova constantemente pela sua humildade como ser.


“ Vós sois Deus/ Deusas !” 

Disse Jesus, estaria ele a falar de uma consciência humana para uma consciência divina ou o contrário?

Ou seja estaria ele a querer-nos elevar a uma linguagem e consciência cósmica, ou quereria ele trazer uma consciência cósmica e linguagem divina para o humano?

Para se entender e aceder ao nosso plano mais elevado temos de limpar as salas do mental de todas as realidades co-criadas, de imagens implantadas por padrões que o ser nem sabe se são verdade, precisa de saber, precisa de penetrar no seu mistério interno e oculto, e então aí estará preparado para receber a verdade do desvelar desse mistério, desse encontro com o Deus ou Deusa e então saberá o que significa de uma ilusão colectiva poder despertar, esse encontro nada nem ninguem mais irá apagar, saberá então o quanto é precioso ser-se Deus em todos os planos, mas a começar nos humanos desenvolvendo resgatar as virtude da nobreza do verdadeiro Deus/Deusa latentes em si.

Sendo um bom exemplo, como ser humano, não há nada mais divino do que uma mãe que aceita ser mãe divina para o seu filho, ser uma Deusa no coração de uma criança, ser o Deus que salvou o amigo com uma palavra ou um gesto sincero de humanidade, de nobreza de amizade.

Então Deus deixará de ser algo mental, inacessível, imagens manipuladas de meditações descontroladas, para passar a ser a tua única realidade em cada partícula do teu ser, em cada partícula deste universo, em cada estado a ser desperto em ti.

É difícil?? 

Difícil era se Deus não tivesse criado pais, amigos, famílias, companheiros, filhos, vejam o quanto são mais pobre aqueles que não têm família, que não têm ninguém, que necessitam se esconder atrás de missões de Deuses, para justificarem que não sabem ser um Pai ou mãe, amigo, filho, enfim família de verdade.

Quem mais consegue ver Deus /Deusa senão aquele que sabe que é nascer como filho, senão aquele que por Deus/Deusa foi gerado?

Para esse Deus/ Deusa os seus filhos são eles mesmos, e eles não se abandonam por outros Deuses, eles não abandonam os filhos, a sua família para adorar uma outra família, outros Deuses em si, para andarem por aí a idolatrar outros Deuses, ou seja não se fragmentam nem na sua unidade divina nem na sua unidade humana.

“Assim vai e amai-vos uns aos outros como vos amo”. 

Parece fácil, mas na verdade não é, parece humano, mas será que o é?

Essa é uma resposta a saberes quando encontrares o Deus/ Deusa em ti, então saberás porque está fora, então saberás o que é encontrar-se na sua quietude, onde só há respostas, mas nunca perguntas.

Muita Paz!

Eugénia De Almeida 

terça-feira, 5 de junho de 2012

AS LÁGRIMAS DE UMA CRIANÇA!




Num pousar de uma semente num ventre repleto de amor é gerada a criança que vem ao mundo, um mundo feito pelos pais, familiares e amigos.

Num mundo feito por professores, instrutores, médicos, profissionais, políticos, presidentes e os seus governantes, um mundo que faz derramar da inocência da criança a primeira lágrima.

Num pousar de uma semente de vida num ventre materno é gerada a  criança que vem a este mundo, nesta criança está um pouco do pai, da mãe, dos seus antepassados genéticos, neste corpo desta criança que dá abrigo a um espírito, uma fração de Deus, uma porção de ele mesmo para vir realizar-se pela forma.

Que pai ou mãe rejeita um filho?
Que pai ou mãe abandona um filho,  aprisiona-o, submete-o aos seus desejos e caprichos e quando se sente frustado pela vida que ele mesmo constrói faz brotar as lágrimas dos olhos de um filho?

Que pai ou mãe rejeita e abandona, aprisiona e entristece aquilo de si que vive nessa mesma criança por si gerada?

Que pai ou mãe é egoísta para por o seu bem estar, a sua vontade, os seus vícios e luxos à frente da felicidade, do direito ao amor, à saúde, ao ensino, à vida de um filho?

Que pai ou mãe vêm a este planeta para fazer mal ao seu próprio filho, à criança que ele é no futuro?

Que pai ou mãe serão capazes de dormir em paz, sabendo que roubaram a paz do seu filho, dessa criança que carrega Deus e eles mesmos dentro de si?

Que tipo de pais seremos nós, se não nos certificarmos  que cada dia mudados um pouco em nós, da imperfeição que os nossos pais ainda não conseguiram.

Que tipo de pais seremos nós, se colocarmos a nossa vida à frente da dos nossos filhos, nem que para isso custe a vida dessa criança?

Que tipo de pai ou mãe, que tipo de família ou amigos, que tipo de mundo seremos nós, para as nossas crianças,  se não conseguirmos ver em todas as crianças essa porção de Deus.
Se não conseguirmos ser em todas as crianças, um Deus que ama, que proteje que dá a vida, um Deus que é luz e verdade, compaixão e a certeza que não dará pedras a um filho se ele chora pelo direito divino ao seu pão.

Que tipo de pai ou mãe és tu, se em vez de carregares um filho no colo, e do ensinares a crescer com toda a força, toda a luz do teu ser, em vez disso, queres que ele te carregue no colo divino que tráz?

Num pousar de uma semente num ventre repleto de amor é gerada a criança que vem ao mundo, um mundo feito pelos pais, familiares e amigos.

Num mundo feito por professores, instrutores, médicos, profissionais, políticos, presidentes e os seus governantes, um mundo que faz derramar da inocência da criança a primeira lágrima.

Num mundo onde somos os responsáveis pelo secar de cada lágrima das nossas crianças, porque simplesmente fomos nós que as fizemos brotar!

Um abraço cósmico a todas as crianças deste planeta.

Muita paz e todo o amor.

Eugénia De Almeida


sexta-feira, 25 de maio de 2012

A GRANDIOSIDADE DA PEQUENEZ EM TI!



Na amplo conhecimento doado à humanidade muitos recursos foram usados, muito investimento tem sido feito a todos os níveis.


A grande dificuldade é a de descobrires até onde te levou esse conhecimento, para onde o pretendes agora impulsionar, nesta nova era em ti a anunciar.

 Nos encontros e desencontros da luz, as simpatias apenas fazem parte da consciência humana, os planos divinos do ser, estão para além do humano, estão para além da percepção dos sentidos humanos, é um estado de enamoramento pelo teu ser e pelo universo que te apadrinha desde o principio da existência, desde o principio da Fonte que tudo é em ti.

O amor esse, quando puro faz parte de todas as tuas consciências, faz parte de uma unidade indissolúvel.
O amor puro, esse terno e doce estado do teu ser, começou a criptar num grito de quem não deseja mais ser omitido como voz do teu supremo ser.

Assim ainda que te pareça dificil ama, ama até os teus inimigos ,  amas sobretudo os teus conhecidos, mas é tempo de amares também os teus desconhecidos, ou teus inimigos, o desconhecido que há em ti ainda por amar, para que assim, saibas sentir o sabor do puro amor do Crísto do teu ser.

E deseja o bem, o bem do amor maior espalhado e doado como nascente de um ardente e puro cardíaco, desperto para amar em todos os estados, em todas as circunstâncias que te encontres.

E por amor, esse amor puro em ti, o reencontro com a tua luz vai-se dando sem que o saibas, sem que a tua mente te iluda e atrapalhe, sem que o teu ego interfira, enquanto que o teu cardíaco desperta e acorda no silêncio do teu ser, na quietude do espirito santo em ti.

A linguagem celeste quando desperta fala em todos os corações, fala em todas as línguas, fala a linguagem sagrada da fonte em ti, fala a linguagem da união, fala a linguagem da liberdade, fala na linguagem da luz, da tua iluminação desde que te esqueceste, para que através do amor te recordes do retorno ao pai, do retorno doce ao teu ser.

Fala sempre com toda a doçura, com toda a ternura e compaixão, com toda a gentileza, e mesmo na crítica ou correção ao teu ser, a linguagem celeste quando desperta é firme e não permite que outra linguagem te domine, apenas o sagrado divino senhor Crísto se manifesta através de ti e não o ego que teima em te magoar, em te aprisionar, em tecer ilusões que te satisfazem momentaneamente.

Quando desperto o divino em ti, mesmo na  correção, na educação é sempre por amor, então, quando sentires esse amor no teu coração, esse abraço do Crísto universal, leva-o aonde quer que vás, como embaixador da pureza da luz maior, como um mero e simples mensageiro que sabe o tamanho da luz mas ainda assim se torna pequenino para chegar a todos, para que, por amor, poder estar em todos os que pela luz e amor do Crísto apenas anseiem permanecer,  apenas anseiem se nutrir, se saciar pelo espirito do Crísto redentor.

Esses são os que conhecem o amor de cada partícula crística, os que sentiram esse sabor da doce Fonte divina da luz do criador, esses nunca mais dela se esquecem ou se apartam, esses estão despertos nos sentidos divinos do ser.
No amor puro do Crísto universal.

Eugénia De Almeida

terça-feira, 22 de maio de 2012

ESPELHOS OPOSTOS.



Entrando no fluxo da energia cósmica universal, constatamos o quanto é preciosa a vida neste planeta, o quanto estamos interligados por todos os pontos necessários à nossa evolução para a luz.

O ser por vezes, gostaria de não ter qualquer ligação a seres que servem apenas o egoísmo, a maldade, as sombras de energias densas ou velhas.

Estes padrões que alimentam a separação, a guerra e o conflito, combustíveis necessários a uma indústria que governa este planeta para o propósito de líderes que roubam e saqueiam tanto o planeta como os seus habitantes.

Isto quer dizer que, até que o ser possa aceitar tanto o bem como o mal, tanto as trevas quanto a luz, os encontros e desencontros dão-se nas frequências mais baixas.

Isto implica ainda que custe, que somos obrigados a ter de viver  com aqueles que atentam contra nós, com seres que se dão bem a fazer o mal, mas note-se que  viver não é conviver.

Isso acontece para que através da luz, estes seres possam despertar primeiramente a humanidade, ou o humano dentro deles, para mais tarde poderem então aceitar a sua espiritualidade, entrem noutras frequências, para poderem ascensionar numa nova consciência.

Assim o caminho ainda é longo para que a humanidade entenda primeiramente a liberdade, a liberdade primeiramente dá-se ao nosso semelhante.

Para que o ser aprenda que: liberdade nem sempre significa que pode fazer o que quer, quando vive ainda na dualidade, mas que a liberdade é fazer o que deve em consciência.

Assim a pouco e pouco os que estão mais elevados na frequência, o simples facto de estarem encarnados neste momento, contribui para a transmutação planetária e a dissolução total da velha energia e dos seus tão interessados  rejentes.

Mas acreditem que embora seja tão difícil e denso, no final, por tudo o que somos e recebemos merece a pena querer o retorno em si à sua  luz.

Muita Paz!

Eugénia De Almeida

quinta-feira, 17 de maio de 2012

A ESSÊNCIA DA HUMILDADE!






Entende que, para poderes vestir a verdadeira essência da humildade do ser, terás de te desnudar do ego, do sexo, da cor, dos desejos, das vontades, das crenças, dos julgamentos, do que acreditas ser verdade.

Para que, então silenciando esse mental em ti, essas vozes que se pronunciam através de inconscientes planetários, através das mentes  coletivas planetários e condicionados, através de heranças familiares, de arquétipos negativos, possas então conseguir escutar o teu semelhante, que és tu também.

Através do silenciar de tudo o que julgas ou pensas ser, possas então no outro encontrar a humildade, essa essência que silencia o seu universo para que o outro se expresse, se torne pequeno, para que o outro se sinta grande.

Para escutares a humildade como um universo a despertar aqui e agora, terás de fechar as tuas portas, a todos os que te queiram levar para os caminhos, onde o ego nunca conhecerá a face da humildade.

 Terás de recusar todos os caminhos e seus intervenientes, onde o ego se confunde no espelho da humildade, e se ilude ainda mais no seu narcisismo, no seu fácil e habitual egocentrismo.
Onde facilmente cai nas suas próprias malhas, porque conta apenas com a sua esperteza, onde confunde a humildade do iluminado, com a esperteza ou ignorância do falso conhecimento.

O ego é sempre aquele que atua em grupo, num conjunto sempre muito interessante de personalidades, de arquétipos de si mesmo, uma consciência dual e separatista.

A humildade nasce em ti, quando provem da glória do criador, algo que não serve o narcismo e egocentrismo, mas sim o serviço e o amor, a compaixão de que todos os seres se encontram nos vários patamares da evolução de si mesmo, e nenhum é mais importante que o outro. 
E se for, que sejas tu mais importante que eu, porque:



"Os primeiros serão os últimos, para que os últimos possam ser os primeiros".

Porque a humildade jamais virá de um trabalho físico, onde ainda impera a ignorância planetária das almas do espírito em evolução, mas a humildade brota da essência que nasce na glória maior, para  que na humanidade possa  assim, a humildade poder descer num corpo físico pequenino e  mais tarde num grande corpo em ti poder permanecer.

Um corpo de luz em ti, que se doou  como humildade.

Muita Paz!
Eugénia De Almeida

terça-feira, 1 de maio de 2012

CONSCIÊNCIA ASCENCIONAL!





Somente pela lucidez da verdade desperta em ti, saberás distinguir se estás apto para interferir nas jornadas de outros seres.

Se estás, saberás que, estar apto quer dizer que nunca devemos interferir nas jornadas de outros seres.

Se, numa clareza total da luz do teu ser, ela te mostra o caminho, o teu caminho é conduzir o outro ao ponto de encontro com a luz do seu ser.

O teu caminho na expansão, onde todos fazem parte do fluxo, onde muitos fazem nesta era o encontro monádico ou supra monádico do ser, deve ser com a responsabilidade lúcida da verdade da luz, e essa não a podes possuir, essa é a revelação em cada um.

Não te esqueças que nestas realidades em que te encontras, se ainda não fizeste o encontro com a tua luz, com a unidade cristica do teu ser, se ainda não está consciente de ti nos dois ou mais lados do teu ser, se ainda não viveste em todos os planos de um só ciclo a unidade total do teu ser, como podes saber do que falas, assim na verdade cura-te a ti em primeiro lugar, como pode um louco conduzir um cego?

Tomar um comprimido para a dor, apenas adormece a dor, apenas te ilude de uma cura que não sabes fazer acontecer no outro, ou em ti.

O louco está muito lúcido na loucura em que vive, ou não seria permanente a sua loucura, a realidade em que vive, quando tiveres unificado todas as tuas consciências, desde a mais pequena à maior, saberás distinguir a ilusão dos planos mentais em que vives.

Mas, quando funcionares pela mente cardíaca, pelos planos da mente divina, pois acredita que terás o universo todo em oposição, numa ilusão tão bem programada, que te perguntarás se o louco não és tu.

Mas quando isso acontece, está para além da tua mente física, já não operas mais a partir daqui, o processo dá-se de forma contrária e a pouco e pouco és retirado da ilusão que crês e que te querem fazer crer.

Aí sorrirás como uma criança, e lembrarás de brincar com amor e compaixão pelos várias consciências que se manifestam, pelas várias verdade ou ilusões que se manifestam.

Mas quando acordares, quando tiveres desperto de verdade a clareza em ti, a lucidez em ti, o amor e consciência em ti, significa que houve já várias fusões do teu ser e essas dispensam palavras decoradas, e citações de terceiros, essas são puras essências que serão jóias eternas a dissolver os estados de ilusão coletivos do estado planetário desta era.

Quando o teu ser desperta para a cura, ele não volta mais ao mesmo estado, ele ganhou anti-corpos, ele faz já parte de um outro estado, isso significa que o ser que eras desapareceu, ele não pode voltar mais ao estado passado, o seu estado foi alterado, e o universo não volta mais ao estágio que estava.

O universo micro do teu ser, subindo um degrau não volta a descer, não é possível isso voltar a acontecer, não é possível pela singularidade que és, pela própria unidade em que já te tornaste, apenas as mentes que nunca fizeram esse caminho, essa cura, esse trabalho em si, se iludem e iludem os outros sem saber de facto o que acontece num universo micro ou macro do seu ser quando se dá os vários processos.

Portanto, o processo do despertar planetário está a acontecer na globalidade e isso não é uma decisão individual tua, isso partiu de um plano muito acima, portanto ainda não sabes na verdade o que vai acontecer e talvez nunca saberás se não o viveres em ti em consciência.

Mas o processo irá continuar, o processo já não pode parar, não precisas de fazer nada senão escutares bem o teu interno, o teu centro, de saberes escutar o outro, o planeta irá despertar para um lucidez de consciência, para uma mudança de estágio que na verdade ninguém pode parar.

Esses processos ver-se-ão em grupos de trabalho de consciência, são consciências a despertar em estados urgentes, seres que tiveram dificuldade de fazer esses processos por dificuldades de aceitação ou outras.

Assim, à medida que os alinhamentos se fazem, a força opositora e ilusória será bastante ao ser que já se encontra em estágios mais avançados.

Assim, a luz a pouco e pouco,vai removendo as camadas da densidade negativa e opositora à verdade do amor do Crísto, à verdadeira unidade com o teu ser.

Mas, em breve esse estágio estará renovado numa nova consciência clara e amorosamente lúcida para a universalidade do ser, significativamente elevada para as reais necessidades dos seres multidimensionais e planetários no caminho da unidade com o universo da luz da unidade divina.
Muita Paz!

Eugénia De Almeida




segunda-feira, 30 de abril de 2012

QUEM!


É transmitido desde cedo aos seres, que a vida ensina-nos, que tudo é resultado da consequência das nossas escolhas, escolhas feitas com o livre arbítrio dado por Deus.

Este ensinamento, deixa mais uma vez os seres sem escolha alguma.

Porque escolheria qualquer ser, um mundo onde tivesse de matar para não morrer?

Porque escolheria o ser, um mundo onde tivesse de lutar pela sua sobrevivência, com as armas dadas por uma sociedade gerada pela própria sobrevivência?

Quem em consciência, tendo na verdade a possibilidade de escolha de ficar com quem ama e sendo amado pelos seus, escolheria ficar sozinho, ser rejeitado ou abandonado?

Quem ainda, em consciência, se tivesse de escolher entre o amor e o medo, escolheria o medo?

Quem ainda, se tivesse de escolher entre a paz e a guerra, escolheria a guerra?

Quem ainda, se tivesse de escolher entre a abundância e a escassez, escolheria a escassez?

Quem ainda, se tivesse de escolher entra a doença e a cura, escolheria a doença?

Quem ainda, se tivesse de escolher entre a ignorância e a sabedoria, escolheria a ignorância?

Quem ainda, se tivesse de escolher ao Crísto e a ao anti- Crísto, escolheria o anti- Crísto?

Quem ainda, se tivesse de escolher entre a sua chama gémea e qualquer outro ser, escolheria qualquer outro ser?

Quem ainda, se tivesse de escolher entre a escuridão e a luz, escolheria a escuridão?

Quem ainda, se tivesse de escolher entre a liberdade e a prisão, escolheria a prisão?

Quem ainda, se pudesse escolher em consciência de verdade , em unidade com a verdade do seu ser, em vez da vida de verdade, escolheria viver na mentira e na ilusão?

Quem???
Alguém???
Você???

É porque eu sei a minha resposta a qualquer destas perguntas e falsas realidades...

E a minha resposta, a resposta deste ser que eu sou, como um ser já iluminado e ascensionado  é...


EU NÃO!!!

Então será que alguma vez você teve escolha??

Escolha a resposta que achar melhor, mas lembre-se é você quem escolhe!
Muita Paz!

Eugénia De Almeida